quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

NOVIDADES DE BRASILIA! STF X EXAME OAB


Companheiras e Companheiras,
Boas novas em Brasília...  O trabalho conjunto dos colegas brasilienses vem dando excelentes resultados.
Nesta 3ª feira, foram necessário modificar o planejamento por causa de fatores externos. A primeira mudança foi à participação na abertura dos trabalhos do Supremo Tribunal Federal. Não tivemos como participar.
A Presidente Dilma Rousseff decidiu participar dos trabalhos de abertura do Supremo e com isto, o auditório que possui em média 220 lugares, passou a 300 lugares e ainda assim, foi completamente preenchido por autoridades dos 3 poderes. Um comentário para quem não conhece a realidade de Brasília: Aqui SÓ TEM autoridades... Uma definição de um brasiliense é de que a capital tem o maior número de “caciques” por centímetro quadrado do País...
Assim, não houve abertura de vagas ao público e ficamos do lado de fora.
Nesta 4ª feira, por causa de petições atravessadas na questão do Italiano Césare Batistti, a questão não estará na pauta, já que depende de decisões interlocutórias e assim, teremos tranqüilidade para marcarmos presença na primeira sessão de julgamentos, neste mês tão especial por esperarmos o julgamento da Liminar concedida pelo Desembargador Vlademir Souza Carvalho. Estarei comentando como foi para os colegas acompanharem depois.
A grande noticia porém, é a publicação da REVISTA CONSULEX, que começou a circular nesta 3ª feira, dia 1º de fevereiro. Com destaque na capa (STF e o Exame de Ordem) e com duas páginas internas (46 e 47), um artigo nosso – Exame de Ordem na encruzilhada da História – é publicado com destaque na maior e mais tradicional publicação jurídica do País em uma ocasião toda especial.para nós.
Neste mês onde a questão exame de ordem estará em exame no Plenário do STF, a Revista Consulex deu a oportunidade do MNBD falar diretamente com todos os operadores do Direito do Brasil diretamente. Desde os acadêmicos que iniciam seus conhecimentos com os assuntos jurídicos, passando pelos escritórios de advocacia, Assembléias Legislativas e Congresso Nacional, fóruns, universidades, bibliotecas e milhares de assinantes, chegando aos Tribunais dos estados e aos Superiores em Brasília.
É uma forma de se falar diretamente com TODOS os Ministros do Supremo Tribunal Federal de forma direta, pois todos são leitores desta revista tradicional.
Assim, peço a TODOS os colegas que adquiram esta edição histórica de nossa luta. É uma maneira direta de mostrar a nossos familiares, amigos e colegas de faculdade, cursinho ou trabalho, que a questão inconstitucionalidade do exame de ordem está em pauta e que o MNBD/OABB é uma entidade séria, que defende os Bacharéis em Direito em todo o Brasil e ser associado ao MNBD/OABB é participar de uma luta democrática em defesa da Constituição e dos Direitos por ela garantidos.
A Revista Consulex já está na bancas, tem o preço de R$ 19,75 e comprar esta edição vai nos ajudar na divulgação de nossa fundamentação de inconstitucionalidade do exame de ordem. Assim, divulguem como puderem a todos os seus contatos para que adquiram a revista e a mostrem ao maior número possível de pessoas, para que tomem conhecimento da questão exame de ordem e sua inconstitucionalidade.
A OAB com certeza comprará espaço – para isto ela tem enorme poder financeiro gerado pelas taxas extorsivas que nos cobram a cada exame – para rebater nossas afirmações. Mas temos como equilibrar este jogo. A OAB compra espaço, nossos colegas em todo o Brasil compram a revista em banca. A Revista Consulex ganha dos dois lado, mas abre espaço para os dois lados também.
Temos portanto uma nova tribuna para debater a questão exame de ordem.
A revista circula durante todo o mês de fevereiro. Assim, além de comprar uma edição para guardar com carinho entre suas lembranças desta nossa luta, comprem e dêem de presente tal revista a pessoas que não acreditavam na nossa luta. A credibilidade da Revista Consulex nos coloca em pé de igualdade com a OAB neste debate.
Vamos à luta. É hora de reafirmarmos nossos fundamentos de inconstitucionalidade do exame. Desta vez, usando uma revista jurídica e fazendo com que ela seja nosso manifesto formal de luta contra este exame ilegal, imoral e hipócrita.
Nesta primeira edição, saímos já em destaque na capa. Quem sabe neste mês de fevereiro tenhamos fatos que gerem base para sermos A CAPA de edições seguintes...
Saudações MNBDistas

Arthur Augusto - Membro do MNDB-SP

Reynaldo - Presidente do MNDB

Um comentário:

Ren@n Rocha - ®., o Ministro™ d♂ Supr€mo - © ¾ disse...

Olá companheiro,
gostei muito da matéria que foi publicada na Revista Consulex.
Se vc tiver como enviar no meu e-mail ficaria muito agradecido.

abraços,


RENAN ROCHA
renan3105@gmail.com